domingo, 7 de agosto de 2011

Amei, perdi, fiz espaguete...

Olá pessoal!
 Em um momento de ócio costumeiro no aeroporto, resolvo passear por uma das lojas da rede Laselva... Chama a minha atenção, a capa e o título " Amei, perdi, fiz espaguete - memórias de boa comida e péssimos namorados".
Bom... como podemos notar no subtítulo, trata-se de mais um livro que explora o mundo feminino enigmático e diga-se de passagem: muito comercial.
A sinopse na contracapa, um tanto restrita, é convidativa aos olhares femininos/famintos, tanto é que apostei em Giulia Melucci (autora do livro), pra me distrair durante a espera na sala de embarque.
O título, pelo que pude associar, faz alusão ao best seller e líder de bilheteria "Comer, Rezar, Amar", jogada de marketing? Talvez.
Conforme The New York Times descreveu, está mais para " Sex and de city com receitas"...


Giulia Melucci, filha de imigrantes italianos já na casa dos trinta e tantos anos, se vê em um turbilhão de relacionamentos fracassados (clichê de livro feminino).
Partindo disso, a autora decide compartilhar com o mundo (quanta coragem!), suas frustrações pessoais, em diálogos bem humorados e recheados de receitas.

A cada capítulo, um namorado diferente (foram nove), e a cada início de relacionamento, mais uma tentativa esperançosa, porém ao final frustrante de superação na cozinha, com pratos elaborados, mistura de sabores e temperos a fim de prender seus pretendentes pelo estômago.

É claro, que com o passar dos anos, Giulia já com 37 anos e solteira, encontra dificuldades em manter relacionamentos, principalmente depois da compra do novo apartamento no Brooklin.
Ver a pasta de dentes apertada ao meio, tufos de cabelo do namorado no ralo da pia e a TV constantemente no canal de esportes, frusta a autora, mostrando sua inflexibilidade em conviver com outra pessoa. Sendo isso, fruto de anos vivendo sozinha e adquirindo manias irreversíveis.

Em suma, vou ser sincera no que diz respeito a minha opinião sobre o livro.

Três observações (muito) pertinentes:

- O livro reúne uma gama enorme de receitas, na maioria de origem italiana, o que parece ser muito útil, apesar de ainda não ter testado nenhuma.

- Cansa, o fato da autora errar insistentemente, apostando em " partidos" problemáticos (alcólatras, drogados).

-Também cansa, os relatos a cada capítulo de suas manias inflexíveis. Se não tem estômago pra conviver com alguém do sexo oposto, então porque não pára de procurar o príncipe e cozinha pra si própria por toda a eternidade?


Giulia Melucci
Não chega a ser uma péssima compra, mas está muito longe de ser um título que me orgulhe colocar na estante (aliás, é daqueles que dá vontade de esconder).
Sugestões, críticas e opiniões? Deixe seu relato nos comentários!!

Bacci!!

Imagens: Fonte: Google imagens.

Nenhum comentário: